Ill Spector: Entrevista exclusiva com a banda indie

Ill Spector é uma banda de indie rock de Franklin, Tennesse (EUA), composta pelos amigos Liam Cauley (vocalista), Max Colbert (guitarrista), Zephan Bean (baixista), Brenna Kassis (vocalista) e Zack Lockwood (baterista).

Em junho lançaram o seu EP de estreia, intitulado “Ill Spector”,  que apresenta cinco faixas com sonoridade distinta. Com influência em artistas como Tame Impala e The Beatles, o grupo consegue mesclar gêneros como folk, indie e post-punk de forma primorosa.

A banda já está trabalhando em seu novo disco e, com mais de 58.000 ouvintes mensais no Spotify, promete sucesso na cena musical indie.  Com isso,  o Infected By Culture decidiu bater um papo com os membros para saber um pouco mais sobre a sua jornada e as novidades que estão por vir. Confira abaixo!

IBC: O que fez vocês decidirem criar a banda?

Max: Nós já tínhamos existido de uma forma ou de outra durante vários anos antes de começarmos a lançar músicas como Ill Spector. Quando Brenna juntou-se à banda, fez a gente levar tudo como um negócio mais sério.

Brenna: Sim, fiquei dentro e fora de bandas desde que eu estava no ensino fundamental, mas quando conheci os caras, eu estava fazendo música sozinha. Quando os conheci, percebi que essas eram as pessoas com as quais deveria fazer música. Então eu sugeri que formássemos nossa banda e achássemos um baterista.

IBC: Como que surgiu o nome “Ill Spector”?

Max: No livro ‘Dirk Gently’s Holistic Detective Agency’, há uma passagem que descreve a lua como estar “levantando de forma involuntária e pendurado como um espectro com gripe“.

IBC: Se vocês pudesses tocar ao lado de qualquer banda, qual seria?

Considerando que cada um de nós tem gostos musicais diferentes, achamos mais fácil responder a essa pergunta como indivíduos.

Max: Built to Spill
Zephan: Cymbals Eat Guitars
Brenna: Good Morning
Liam: Grizzly Bear

Zack: Modern Baseball

IBC: Qual o processo por qual a banda passa ao fazer música nova?

Max: O processo de composição dentro da banda é muito colaborativo. Geralmente, um de nós virá para o grupo com uma ideia, e o resto de nós sustentará essa ideia até que ela se torne uma música completa.

IBC: O que os fãs podem esperar do seu primeiro álbum de estúdio?

Zephan: Esperamos que este álbum mostre nosso potencial como uma banda e mostre que temos mais a oferecer do que o nosso EP sugeriu. Nós somos fãs de tantos gêneros diferentes e gostaríamos de experimentar o quanto mais estilos e técnicas para compor música que pudermos. Queríamos nos desafiar fazendo coisas fora de nossas zonas de conforto neste álbum, como reverter algumas faixas ou introduzir sintetizadores em uma ou duas músicas. Em relação à letra, este álbum aborda temas mais sóbrios e os dois tomam uma abordagem mais colaborativa na escrita de letras e melodias. Estamos muito entusiasmados por todos ouvirem o que estamos trabalhando.

Max: As músicas em nosso primeiro álbum serão geralmente mais escuras e menos abertas em estrutura. As peças são mais melódicas e complexas, e há um foco maior em atmosferas e instrumentação.


Acompanhe todas as novidades do Ill Spector em seu Facebook, Spotify e, é claro, no Infected By Culture.

Comentários

Comentários

6 thoughts on “Ill Spector: Entrevista exclusiva com a banda indie”

  1. Rubyane says:

    Muito legal um blog brasileiro conseguir um entrevista com uma banda gringa, parabéns!
    Não conhecia a banda mas pelo que foi dito no texto fiquei bastante interessada no som deles, já vou ir dar uma ouvida nas musicas deles.

    1. infectedbyculture says:

      Olá Rubyane! Obrigada pela visita.
      Vale super a pena conhecer o som deles sim 🙂
      Beijão

  2. Jéssika Gomes says:

    Antes de ler a entrevista eu já abri o Spotify e coloquei essa banda pra tocar no aleatório, gostei bastante. Parabéns pela entrevista e obrigada pela dica!

    1. infectedbyculture says:

      Olá Jéssika 🙂 Fico muito feliz que tenha gostado.
      Volte sempre! Beijão.

  3. Victoria says:

    Amo bandinhas indie, essa não conhecia e eu AMEI o som deles de verdade. Parabéns pela entrevista e pelo seu bloguito que é lindo, um beijo!
    Skyscrapers

    1. infectedbyculture says:

      Oi, Vic! Fico super feliz que tenha curtido o som deles 🙂
      Eles merecem muito reconhecimento. Beijão e obrigada pela visita!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *